Menino quebra ovo e acaba amarrado em ‘casa de amparo’ a crianças vítimas de violência em Poá-SP

Garoto de 7 anos teve braços e pernas amarradas

O Conselho Tutelar de Poá registrou nesta quarta-feira (17) uma denúncia que relata maus-tratos ocorridos na casa de acolhimento de crianças carentes “Cuidar para Transformar”, administrada pela Prefeitura de Poá, na Grande São Paulo.

Um garoto de sete anos, acolhido na casa há seis meses devido ao envolvimento com drogas por parte dos pais, teve braços e pernas amarrados após derrubar um ovo no chão acidentalmente.

A denúncia, acompanhada de registro fotográfico, chegou ao Conselho Tutelar na última segunda-feira (15), por meio de um funcionário da casa de acolhimento. O mesmo informou aos conselheiros que o garoto, que estava com fome, pediu aos responsáveis pela casa para fritar um ovo. “No momento em que foi pegar o ovo, o alimento acabou caindo acidentalmente no chão, fazendo sujeira”.

O funcionário relatou então que o acontecimento teria irritado as educadoras do local, que amarraram os braços e as pernas do garoto, que ficou imobilizado no chão.

Outras crianças ainda seriam mal-tratadas no local. Na denúncia registrada pelo Conselho, duas educadoras e três técnicas foram notificadas pelos supostos por maus-tratos.

Reunião

Uma reunião aconteceu hoje às 9h30 da manhã entre o Conselho Tutelar de Poá, a Secretaria de Assistência Social, e o departamento jurídico da Prefeitura, comunicando sobre o caso. Após a reunião o Conselho Tutelar registrou oficialmente a denúncia.

O Conselho afirmou que as educadoras envolvidas na denúncia serão afastadas e uma sindicância será aberta para a apuração dos fatos. O caso também será levado à Vara da Infância e Juventude e ao Ministério Público ainda nesta quarta-feira (17).

Segundo a pasta, uma conselheira está com a criança na Delegacia de Polícia de Poá para o registro do boletim de ocorrência.

Posicionamento da Prefeitura

A Prefeitura de Poá, responsável pela administração da casa de acolhimento  “Cuidar para Transformar”, afirmou que a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social recebeu as denúncias  na última-terça feira (16)  e “imediatamente iniciou a apuração dos fatos”.

A pasta afirmou também, que “já foi determinada a abertura de sindicância para apurar as denúncias e responsabilidades.”

Sobre o caso específico do garoto de sete anos que foi amarrado a Prefeitura disse que a criança “está recebendo acompanhamento médico e psicológico e seu caso está sendo acompanhado pelos técnicos da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.”

*Ana Beatriz Azevedo, estagiária do R7 com Vânia de Souza da Agência Record

https://noticias.r7.com/sao-paulo/crianca-e-vitima-de-maus-tratos-em-casa-de-acolhimento-de-poa-17012018

Anúncios

Na Venezuela, fome faz com que população busque por alimentos em latas de lixo

A crise política e a recessão econômica, que se agravaram nos últimos quatro anos, deixaram de ser um segredo de Estado para tornarem-se uma realidade alarmante. No início, apenas algumas pessoas se atreviam, timidamente, a buscar por alimentos descartados fora dos estabelecimentos comerciais. Mas com o passar do tempo, especialmente no último ano, somaram-se a este grupo pessoas de diversos extratos sociais que, com ou sem vergonha, movidos por necessidade e impossibilidade de comprar mantimentos, começaram a procurar dentro das caçambas de lixo das ruas e avenidas por um pouco de comida ou algo para vestir. (Foto: Sebastián Guido/Agência PLANO)

São cenas que, lamentavelmente, podemos ver em todas as partes da Venezuela. Sendo que, em muitas ocasiões, as protagonistas são as crianças. No estado de Nueva Esparta, primeiro destino turístico do país, a pobreza está em todos os cantos. Não só perto dos restos de lixo, mas nos faróis e em vias tradicionais, é possível ver crianças pedindo dinheiro ou algo para comer. É assim que passam os dias e conseguem sobreviver. (Foto: Sebastián Guido/Agência PLANO)

Na Isla Margarita, em Nueva Esparta, a realidade tem duas caras. De um lado, vemos turistas comendo empanadas, uma das comidas típicas da região. Enquanto a poucos metros, crianças caminham sozinhas pedindo um pouco de piedade. Muitos o fazem sem nem pronunciar palavras. Se aproximam, olham e estendem as mãos. Outros falam apenas “tenho fome”.

A pobreza em números

Na intenção de esconder o que está acontecendo no país, em 2015, o Instituto Nacional de Estatística deixou de publicar os números sobre pobreza. No entanto, diversas organizações privadas têm levantado essas informações e garantem que a população está recorrendo ao lixo porque está passando fome.

Algumas estatísticas indicam que 8% dos venezuelanos comem restos de alimentos. Apesar de, em setembro de 2017, a secretaria executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), Alicia Bárcena, afirmar ter “um registro” de uma importante redução da pobreza na Venezuela, por conta dos avanços dos programas sociais do governo, não é isso que se vê nas ruas. No final do mesmo ano, Bárcena disse que, a pobreza registrada em 2017 foi causada pelo “freio no crescimento econômico não só a nível regional, mas, principalmente, em grandes países como Brasil e Venezuela”.

O relatório “Panorama Social da América Latina 2017” informou que a pobreza atingiu 186 milhões de pessoas na região em 2016, sendo que 61 milhões encontram-se em situação de pobreza extrema. Na época da apresentação do relatório, a representante da Cepal afirmou que as projeções eram que, em 2017, o número de pobres aumentasse em 1 milhão de pessoas. Ela considerou “alarmante” o caso dos menores de idade já que, em 2016, 46,7% dos latino-americanos de 0 a 14 anos estavam em situação de pobreza. (Foto: Sebastián Guido/Agência PLANO)

Nesse contexto, existe outro elemento bastante preocupante. Trata-se dos índices de desnutrição que afetam crianças e adultos na Venezuela, especialmente na Isla Margarita, onde, em 2017, a cada 48 horas um bebê recém-nascido faleceu. No total, foram 180 mortes, estimativa feita por Germán Rojas Loyola, secretário de Informação e Difusão da Junta Directiva Central de la Sociedad Venezolana de Puericultura y Pediatría (SVPP).

https://br.noticias.yahoo.com/na-venezuela-fome-faz-com-que-populacao-busque-por-alimentos-em-latas-de-lixo-132446589.html

PTralha Gleisi Hoffman volta a falar merda em sua idolatria louca pelo Lularápio

A oito dias do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, disse que para Lula ser preso “vai ter que prender muita gente, mais do que isso, vai ter que matar gente”. As declarações de Gleisi, dadas ao site Poder360, ocorrem após o presidente do TRF-4 ir a Brasília discutir questões de segurançadurante o julgamento do recurso petista. Lula foi condenado a nove anos e seis meses de prisão pelo juiz Sergio Moro.

INFOGRÁFICOPasso a passo do julgamento de Lula no TRF-4

— Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente. Aí, vai ter que matar — afirmou Gleisi.

A possibilidade de prisão de Lula logo após decisão do TRF-4 no dia 24 de janeiro — caso a condenação venha a ser confirmada pelo tribunal — foi descartada pelo próprio tribunal. Na última semana, o TRF-4 divulgou nota afirmando que eventual prisão dos envolvidos no julgamento só ocorrerá após a análise de todos os recursos cabíveis à corte.

Ao Poder360, Gleisi Hoffmann declarou esperar apenas a absolvição de Lula, criticou o processo judicial e disse que uma eventual condenação significará que os juízes “desceram para o ‘play’ da política […] No ‘play’ da política nós vamos jogar […] E vamos jogar pesado”.

Segundo ela, o resultado do caso no TRF-4 não pode tirar o petista da disputa pela Presidência, em outubro.

— Essa condenação não tem nada a ver com a candidatura. A candidatura do Lula vai ser decidida na Justiça Eleitoral. Porque a candidatura só se resolve na Justiça Eleitoral. É em outra esfera. Não tem nada que nos impeça de registrar Lula como candidato no dia 15 de agosto — disse a senadora petista.

PERGUNTAS E RESPOSTASSe condenado, Lula poderá ser candidato?

Gleisi afirmou que o partido não tem um plano alternativo à candidatura de Lula. A estratégia é registrar a candidatura para colocar o petista nas urnas.

— Como é que vai cassar o voto de 40, de 50 milhões de brasileiros? — argumentou Gleisi, fazendo referência à quantidade de votos que o partido supõe que obterá com a candidatura do ex-presidente.

Casal é preso por manter 13 filhos acorrentados nos EUA

Louise Anna Turpin e David Allen Turpin, presos pela polícia e acusados de acorrentar e privar de comida seus 13 filhos, na Califórnia (Foto: Riverside County Sheriff's Department via AP)

Uma mulher e um homem foram presos na noite desta segunda-feira (15) em Perris, na Califórnia, suspeitos de manterem os 13 filhos, com idades entre 2 e 29 anos, acorrentados, famintos e imersos na sujeira na casa dos pais. (Louise Anna Turpin e David Allen Turpin, presos pela polícia e acusados de acorrentar e privar de comida seus 13 filhos, na Califórnia (Foto: Riverside County Sheriff’s Department via AP)

Louise Anna Turpin e David Allen Turpin foram presos depois que uma das filhas do casal, uma jovem de 17 anos, fugiu da casa no domingo (14) e chamou a polícia. A adolescente telefonou para o serviço de emergência 911 de um celular que encontrou na residência.

A adolescente, que estava “magérrima” e parecia ter apenas dez anos, segundo a polícia, “afirmou que seus doze irmãos e irmãs eram mantidos em cativeiro na casa por seus pais, detalhando que alguns estavam acorrentados”.

Ainda não se sabe por quanto tempo os filhos foram mantidos em cativeiro.

A princípio, a polícia pensou que se tratava de 12 menores, “desnutridos e muito sujos”, mas depois percebeu que havia sete adultos, com idades entre 18 e 29 anos.

Seis das 13 vítimas (incluindo a adolescente que fugiu) eram menores, e a mais nova tinha apenas dois anos.

As autoridades fixaram uma fiança de US$ 9 milhões para os pais, denunciados por tortura, cárcere privado e por colocar os filhos em risco.

Casa de David Allen e Louise Anna Turpin, em Perris, na Califórnia, EUA (Foto: REUTERS/Mike Blake)
Interrogados pela polícia, os pais não puderam “dar qualquer explicação razoável sobre por que motivo mantinham os filhos acorrentados”. (Casa de David Allen e Louise Anna Turpin, em Perris, na Califórnia, EUA (Foto: REUTERS/Mike Blake)

As vítimas foram alimentadas e estão recebendo tratamento, enquanto os serviços de defesa da infância abriram uma investigação. Não há informações sobre o estado de saúde dos filhos do casal.

Vizinhança

Kimberly Milligan, vizinha dos Turpin, disse ao jornal “Los Angeles Times” que muitas coisas eram estranhas “naquela família”: as crianças “eram muito pálidas, tinham o olhar vazio e nunca saíam para brincar, apesar de serem numerosas”.

Vista aérea da casa da família Turpin, onde 13 eram mantidos em cativeiro (Foto: Reprodução/Reuters)

“Eu achava que eles estudavam em casa”, algo relativamente frequente nos Estados Unidos, acrescentou Milligan. “Sentíamos que havia algo estranho mas não queríamos pensar mal daquela gente. ( Vista aérea da casa da família Turpin, onde 13 eram mantidos em cativeiro (Foto: Reprodução/Reuters)

A família

David Turpin aparece no registro do Diretório Escolar da Califórnia como diretor do colégio particular Sandcastle Day School, inaugurado em março de 2011, cujo endereço é o mesmo da residência dos Turpin, segundo a CNN.

A escola teria apenas seis estudantes, com idades entre 10 e 18 anos, segundo os últimos dados do departamento estadual de educação.

Os Turpin declararam falência no mesmo ano em que abriram a escola, com uma dívida acumulada entre US$ 100 mil e US$ 500 mil, revelam documentos judiciais citados pelo jornal “The New York Times”.

O jornal assinala que no momento David Turpin trabalhava como engenheiro para o grupo de defesa Northrop Grumman, com um salário anual de US$ 140 mil. Louise é dona de casa.

Uma página do Facebook com o nome de David-Louise Turpin traz uma foto dos dois no que parece ser uma cerimônia de casamento.

Louise Turpin está com um vestido branco, David aparece de terno e o casal é rodeado por 13 crianças ou jovens. As meninas, de cabelo longo e castanho, estão com o mesmo modelo de vestido púrpura com estampado escocês, exceto uma bebê, vestida de fúcsia.

s meninos aparecem todos como o mesmo corte de cabelo de David Turpin.

O casal aparece diante de um homem vestido como Elvis Presley segurando um microfone, como nas cerimônias de casamento “kitsch” de Las Vegas.

Outra foto, de abril de 2016, revela David e Louise Turpin rodeados de 13 jovens, todos sorridentes, com jeans e camisas vermelhas.

Em uma das fotos, a bebê está vestida com uma camiseta onde se pode ler: “Mamãe me ama”.

 

MPF pede 386 anos de prisão para Cunha e 78 para Henrique Alves

aaaaaaa

Em alegações finais no âmbito da ação penal derivada da Operação Sépsis, que investiga desvios no fundo de investimentos do FI-FGTS, o Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça que os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) sejam condenados, respectivamente, a penas de 386 anos e de 78 anos de prisão.

De acordo com a acusação, Cunha cometeu os crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e prevaricação. Henrique Alves, por sua vez, responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Além dos dois ex-parlamentares, que já estão presos, são réus no processo o ex-vice-presidente da Caixa Fabio Cleto, o corretor Lúcio Bolonha Funaro e seu funcionário Alexandre Margotto. Os três assinaram acordos de delação premiada e, portanto, os procuradores sugerem o cumprimento das penas estipuladas nas negociações.

As alegações finais são a última etapa do processo antes das sentença. Esse caso tramita na 10ª Vara Federal em Brasília sob titularidade do juiz Vallisney de Souza Oliveira.

Ainda por conta dos supostos prejuízos causados pela corrupção, os procuradores pedem uma multa de R$ 13,7 milhões para Cunha e R$ 3,2 milhões para Alves.

Na peça, o MPF explica que os crimes imputados a eles são referentes apenas ao caso envolvendo a empresa Carioca Engenharia. O caso representa apenas 4% da propina recebido por Cleto enquanto vice-presidente de Fundos de Governo e Loteria da Caixa.

“Ficou comprovado nestes autos, pelos elementos probatórios, assim como atualmente vem sendo descortinado em diversas operações realizadas, como é o caso das denominadas Operações Sépsis, Cui Bono, Patmos e Lava Jato, entre outras, um esquema criminoso que utiliza ardilosamente a Administração Pública como forma de obter vantagens indevidas. Participavam desse conluio políticos, agentes públicos, operadores financeiros, empresários e outros agentes privados”, diz o MPF

A Operação Sépsis, origem do processo no qual o MPF pede a condenação dos emedebistas, foi deflagrada pela Polícia Federal e pela Procuradoria-geral da República em julho de 2015. A ação teve como base a delação premiada de Cleto e dos executivos da Carioca Engenharia que detalharam como o grupo político de Cunha e Alves se valiam da nomeação de diretores na Caixa para cobrar propina de empresas interessadas em aportes do FI-FGTS.

No tópico em que define a dosimetria de pena e aponta a sugestão de 386 anos para Cunha e 78 para Alves, os procuradores Anselmo Lopes e Sarah Moreira, afirmam que os dois são “criminosos em série (criminal serial) ,fazendo da política e da vida pública um caminho para a vida delituosa.”

“De fato, restou demonstrado no curso da ação penal que Cunha e Alves possuem personalidades voltadas para o crime, para a corrupção em seu sentido mais amplo. São pessoas que não demonstraram ou comunicaram, ao menos até o presente momento, qualquer arrependimento por seus crimes”, afirmam os procuradores.

Defesas

O criminalista Délio Lins e Silva Júnior, defensor de Eduardo Cunha disse que “a defesa demonstrará em suas alegações finais que a acusação é frágil e tem certeza da absolvição.”

A defesa do ex-deputado Henrique Eduardo Alves ainda não se pronunciou.

 

Mais de mil dinamarqueses são autuados por pornografia infantil no Facebook

A polícia da Dinamarca anunciou a acusação de mais de mil usuários do Facebook por distribuição de pornografia infantil. Os criminosos circulavam conteúdos pornográficos não consensuais, principalmente dois vídeos envolvendo um jovem de 15 anos.

Os vídeos começaram a circular na Dinamarca, principalmente por adolescentes e, de acordo com as investigações, grande parte dos usuários acusados compartilhou as imagens mais de uma vez, enquanto outros centenas de vezes.

Na Dinamarca, os crimes de pornografia infantil são aplicados em situações que envolvem pessoas menores de 18 anos. Segundo Flemming Kjærside, um dos policiais responsáveis pelo caso, os jovens que compartilharam os vídeos estavam cientes de que a exposição traz consequências para a vítima, mas não imaginavam que é um ato passível de punição e sentença.

Segundo relato de um porta-voz do Facebook à CNN, o Facebook tem tolerância zero para este tipo de situação, contando ainda que a rede social conta com um sistema que denuncia e remove os conteúdos que envolvem exploração infantil.

Ponte em construção desaba e dez pessoas morrem na Colômbia

Uma ponte em construção desabou na Colômbia na tarde desta segunda-feira (15) na estrada que liga Bogotá a Villavicencio. A construção fica numa localidade chamada Chirajara.

Segundo informaram a Defesa Civil e os Bombeiros a veículos da imprensa colombiana, dez pessoas morreram, sendo nove no local e uma em um hospital.

A estrutura desabou quando entre 35 e 40 operários trabalhavam no local, disse o coronel Jorge Díaz, da Defesa Civil.

Outras três pessoas, com ferimentos leves, foram levadas a hospitais da região.

As vítimas eram soldadores que estavam trabalhando na parte baixa da ponte, em um trecho da estrada a 65 km de Bogotá.

Brigadas de socorro estão na região e não se descarta o aumento do número de vítimas.

Com 446 metros de extensão e 280 metros de altura, a ponte estaiada seria entregue em março.

https://g1.globo.com/mundo/noticia/ponte-desaba-na-colombia.ghtml