Vereadores de Cuiabá aumentam o patrimônio em quatro anos: tiveram aumento superior a 600% no período

Um mandato de quatro anos na vida pública permitiu um salto astronômico no patrimônio de vereadores de Cuiabá. Um dos casos mais emblemáticos é o do vereador Adevair Cabral (PSDB).

Eleito em 2012 para o primeiro mandato na Câmara Municipal de Cuiabá, informou naquela ocasião patrimônio de R$ 336 mil.

Agora, na condição de candidato à reeleição, seu patrimônio é de R$ 788 mil, o que corresponde a um aumento de aproximadamente 135%.

Ex-presidente do sindicato dos bancários de Mato Grosso, Arilson da Silva foi eleito em 2012 para exercer o primeiro mandato pelo Partido dos Trabalhadores. Naquela ocasião, declarou ter um patrimônio de R$ 92,8 mil.

Em quatro anos no Legislativo municipal, seu patrimônio cresceu 173%, pois saltou para R$ 253,3 mil.

Na relação, o bem mais valioso é um lote no Parque Residencial Bom Clima avaliado em R$ 87.069,00 e dinheiro em conta corrente do Banco Santander de R$ 43,6 mil.

O apresentador de TV e vereador de segundo mandato Antônio de Souza, conhecido como Toninho de Souza (PSD), declarou em 2012 dispor de R$ 635 mil em patrimônio. Agora, aparece com R$ 707 mil, o que corresponde a um aumento de 11,4% em quatro anos.

O vereador Paulo Araújo (PP) assumiu o mandato de vereador em abril de 2014 após a cassação do mandato do vereador João Emanuel (PSD) pelo plenário da Câmara Municipal de Cuiabá por quebra de decoro parlamentar.

Em dois anos e meio de mandato, seu patrimônio deu um salto considerável. Em 2012, foram declarados R$ 132.600,00. Quatro anos depois, houve um aumento de 391%, o que perfaz o total de R$ 651,1 mil. O bem mais valioso é um apartamento avaliado em R$ 478.008,00.

O vereador Mário Nadaf (PV) registrou aumento de 219% em seu patrimônio nos últimos quatro anos. Conforme declarado à Justiça Eleitoral, em 2012 seus bens estavam avaliados em R$ 710 mil. Já em 2016 correspondem a R$ 2,263 milhões.

O vereador Lilo Pinheiro (PRP) mantinha a posse em 2012 de três veículos financiados que, somados, correspondiam a R$ 73 mil. Em 2016, são apenas dois veículos financiados que somam R$ 69 mil.

Em 2012, o vereador Allan Kardec (PT) informou ter R$ 50 mil de patrimônio. Agora, houve aumento de aproximadamente 67%, elevando o patrimônio para R$ 83 mil.

O vereador Lídio Barbosa (PTdoB), conhecido como Juca do Guaraná Filho, registrou aumento de aproximadamente 63% em seu patrimônio. Em quatro anos, saltou de R$ 194,5 mil para R$ 316,002 mil.

Vereador de primeiro mandato, Renivaldo Nascimento, que disputa a reeleição, conseguiu aumentar o patrimônio em aproximadamente 11,7%. Em 2012, havia R$ 740.172 mil e agora, R$ 825.654 mil.

O médico Ricardo Saad foi eleito pelo PSDB em 2012 para o primeiro mandato de vereador. De acordo com a declaração entregue na Justiça Eleitoral, seu patrimônio aumentou 604% em quatro anos. Em 2012, foram declarados R$ 35 mil em bens e agora o único patrimônio é um apartamento avaliado de R$ 246,4 mil.

Em 2012, a vereadora Lueci Ramos (PSDB), que disputa seu sexto mandato na Câmara Municipal de Cuiabá, declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 626,7 mil em bens. No entanto, em quatro anos seu patrimônio registrou aumento de aproximadamente 82%, saltando para R$ 1,136 milhão.

Vereador de primeiro mandato com família tradicional na política, o médico Maurélio Ribeiro declarou à Justiça Eleitoral em 2012 ter patrimônio declarado de R$ R$ 1,344 milhão. Agora, na disputa do seu segundo mandato em 2016, declarou a quantia de R$ 3,175 milhões, o que corresponde a um aumento de 136% nos últimos quatro anos. Maurélio Ribeiro é o parlamentar mais “rico” dentre aqueles que buscarão a reeleição no pleito de outubro deste ano.

O vereador Marcus Fabricio (PTB), que assumiu a vaga após a morte de Júlio Pinheiro (PTB), declarou em 2016 ter o mesmo patrimônio de R$ 681,3 mil. Nos últimos quatro anos, exerceu a função pública de secretário de Turismo na gestão do prefeito Mauro Mendes (PSB).

O vereador Néviton Fagundes (PRB) assumiu a vaga em maio de 2015 após a morte do vereador Clovito Hugueney (PTB) em maio de 2015. Em 2012, quando disputou a reeleição e perdeu, Néviton Fagundes declarou patrimônio de R$ 135,2 mil. Quatro anos depois, seus bens estão avaliados em R$ 628 mil, o que corresponde a um aumento de 365%.

Indicado para ser candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo deputado estadual Wilson Santos (PSDB), o vereador Leonardo de Oliveira (PSB) informou à Justiça Eleitoral ter patrimônio declarado de R$ 25,3 mil.

Até a produção desta reportagem seu patrimônio atualizado não estava disponível no sistema divulgacand 2016 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O mesmo ocorreu com os vereadores candidatos à reeleição Adilson Levante e Onofre Junior, ambos do PSB, Oséas Machado (PSC) e Marcrean dos Santos (PRTB).

Da atual legislatura, não serão candidatos a nenhum cargo eletivo os vereadores Domingos Sávio (PSD), Haroldo Kuzai (SD) e Faissal Calil (PSB).

http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=494209

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s