Denunciado pela mãe, homem é condenado a 17 anos de prisão por estuprar filha de 5 anos em Vitória

Homem foi preso no dia 8 de novembro após condenação  (Foto: Manoela Albuquerque / G1)

Um motorista autônomo de 34 anos foi condenado a 17 anos e 9 meses de prisão pelo estupro da filha de 5 anos, em Vitória, após ser denunciado pela própria mãe. O preso negou as acusações, nesta sexta-feira (17). Não cabe recurso à decisão da Justiça. (Homem foi preso no dia 8 de novembro após condenação (Foto: Manoela Albuquerque / G1)

Os casos aconteceram no segundo semestre de agosto de 2013 e o condenado foi indiciado em agosto de 2014. Ele aguardava o julgamento em liberdade e foi preso na Vila Rubim, na capital, no dia 8 de novembro deste ano.

De acordo com o responsável pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Lorenzo Pazolini, o pai ficava sozinho com a menina algumas vezes, já que era autônomo, enquanto a mãe tinha carga horária fixa. Nessas ocasiões, ele cometeu os atos criminosos.

O delegado contou que o pai dizia para a menina que eles tinham um segredo. O crime de estupro de vulnerável foi comprovado a partir do depoimento da vítima e de um laudo psicossocial.

Denunciado pela mãe

Pazolini disse que a avó paterna da menina, mãe do condenado, foi quem percebeu a mudança no comportamento da vítima, que ficou mais agressiva.

A avó se aproximou mais da criança, que contou o que acontecia para ela e para a mãe. Depois disso, as três foram até a delegacia para registrar o crime.

O homem nega que tenha estuprado a filha e se diz arrependido por não ter sido um pai mais presente. Ele disse, ainda, que não ficava sozinho com a menina. “Eu quase não tinha contato com a criança, quem mais tinha contato era a minha mãe, que ficava tomando conta dela”.

Questionado se se sente injustiçado, ele respondeu: “É a minha versão, né?”. O delegado afirmou que a versão do condenado é totalmente mentirosa.

https://g1.globo.com/es/espirito-santo/noticia/denunciado-pela-mae-homem-e-condenado-a-17-anos-de-prisao-por-estuprar-filha-de-5-anos-em-vitoria.ghtml

Anúncios

Crianças resgatadas em chiqueiro no AC disseram em depoimento a delegado que apanhavam do pai

Crianças foram encontradas dormindo em chiqueiro (Foto: Anny Barbosa/G1)

Em depoimento ao delegado responsável pela Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), Luis Tonini, as crianças que foram resgatadas dormindo em um chiqueiro no dia 8 deste mês no município de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, afirmaram que estavam no local para se afastar do ambiente violento em que vivem. (Crianças foram encontradas dormindo em chiqueiro (Foto: Anny Barbosa/G1)

“Segundo eles, eles fazem como forma de se distanciar do ambiente hostil e agressivo do pai, que chegava bêbado em casa e muita vezes perturbava a tranquilidade do lar e batia nos filhos”, contou o delegado.

Tonini disse ainda que essa não seria a primeira vez que as crianças teriam dormido no local. “Seria esse o motivo deles estarem dormindo naquele local insalubre. Houve uma certa omissão da mãe em não denunciar a atitude do marido, inclusive ela defende o marido”, acrescentou.

O pai ainda vai ser ouvido pelo delegado para que as investigações continuem. “Muito embora os relatos das crianças e dos vizinhos apontem para isso, temos que ouvir a parte agressora, então, estamos investigando de forma mais apurada para que não seja cometida nenhuma injustiça”, finalizou.

Entenda o caso

Três irmãos, que têm 9, 11 e 13 anos de idade, foram encontrados dormindo sozinhos dentro de um chiqueiro, no bairro da Várzea, em Cruzeiro do Sul. Eles foram resgatados pela Polícia Militar na noite do último dia 8 após uma denúncia de vizinhos. O local onde as crianças foram encontradas fica a cerca de 20 metros da casa da família.

Irmãos têm 9,11 e 13 anos e foram encontrados na noite de quarta-feira (8)  (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O Conselho Tutelar da cidade decidiu que as crianças devem permanecer com a família, pelo menos até que o caso seja resolvido. Em entrevista ao G1, no dia 10, a mãe das crianças, a dona de casa Maurizia Soares, de 43 anos, disse que sentia humilhada com a situação. (Irmãos têm 9,11 e 13 anos e foram encontrados na noite de quarta-feira (8) (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

“Nunca tinha ido em porta de delegacia, nunca tinha passado por nada disso na vida e agora estou assim, humilhada e sendo julgada por todo mundo. Tem muita gente falando coisas que estão me magoando”, desabafou.

https://g1.globo.com/ac/cruzeiro-do-sul-regiao/noticia/criancas-resgatadas-em-chiqueiro-no-ac-disseram-em-depoimento-a-delegado-que-apanhavam-do-pai.ghtml

Criança desmaia de fome em escola do Distrito Federal

Um menino de oito anos desmaiou de fome enquanto assistia aula nesta semana em uma escola pública de Cruzeiro, no Distrito Federal. De acordo com o portal G1, o Samu foi acionado para atender o estudante, mas quando os profissionais faziam o atendimento perceberam que o problema era fome.

“Quando o Samu chegou e fez o atendimento, e viu que era fome, até o rapaz praticamente chorou”, disse ao G1 a professora Ana Carolina Costa, que dava aula para a criança que sofreu o desmaio.

O estudante mora com a família em um empreendimento do Minha Casa, Minha Vida e, assim como outras 250 crianças, precisa se deslocar por 30 quilômetros para frequentar as aulas, já que não há escola perto de casa. As atividades começam à tarde, mas as crianças saem de casa por volta das 11h para chegar a tempo. A escola não oferece almoço.

Em nota encaminhada à TV Globo, a Secretaria de Educação disse que não oferece almoço às crianças porque não há ensino integral na unidade. Os alunos recebem apenas um lanche que, segundo funcionários da escola, é composto por biscoito e suco na maioria das vezes.

Após recobrar os sentidos, a criança disse aos agentes do Samu que a última refeição havia sido um mingau de fubá, comido no dia anterior.

https://gauchazh.clicrbs.com.br/educacao-e-emprego/noticia/2017/11/estudante-de-oito-anos-desmaia-de-fome-em-escola-do-distrito-federal-cja3qxe1803oc01tbb9g5r6lk.html

Delator diz que pagou a Messi para que craque jogasse amistoso pela Argentina

Foto: (Sergei Karpukhin/Reuters)

O escândalo da Fifa sobrou para Lionel Messi. No interrogatório desta quinta-feira, no Tribunal Federal de Brooklyn, em Nova York, o delator Alejandro Burzaco disse que o craque argentino recebeu US$ 200 mil para jogar amistoso pela seleção de seu país.

John Pappalardo, advogado do reú Juan Angel Napout, primeiro perguntou se Napout tinha pagado propina à então presidente da Argentina Cristina Kirchner. Diante da resposta negativa, ele fez outra pergunta: “Quem é o presidente da Argentina?”

Burzaco respondeu “Mauricio Macri”. Depois disso, Pappalardo emendou com “E quem é Lio Messi?”. Burzaco riu e disse “É o melhor do mundo”.

O advogado então questionou se ele ou sua empresa, a Torneos y Competencias, já havia pagado algo ao craque. A resposta foi positiva.

– Sim. A ele e a outros jogadores da seleção Argentina. O pagamento era 200 mil dólares para assegurar que eles realmente jogariam.

Não houve mais explicações, mas, normalmente, os jogadores não recebem para atuar por suas respectivas seleções nacionais. Em nenhum momento a palavra propina foi usada, apenas foi relatado que Messi e outros jogadores não identificados receberam tal quantia para jogar pela Argentina.

Burzaco diz que Nicolas Leoz ficou com 5 milhões que Fifa usou para pagar Conmebol

Em outro trecho do julgamento, Burzaco disse também que o paraguaio Nicolas Leoz ficou com a quantia de US$ 5 milhões que a Fifa usou para pagar a Conmebol quando houve o fim do Mundial Interclubes e a própria Fifa passou a organizar o seu Mundial de Clubes. Segundo o argentino, Leoz era presidente da confederação sul-americana e não fazia muita distinção do que era sua conta pessoal e a conta da entidade.

– O que eu sei é que Leoz depositou esse dinheiro na conta pessoal dele. Ele deu instruções à FIFA para que o depósito fosse na conta pessoal dele e não da Conmebol. O reinado de Leoz era basicamente não haver diferença entre sua conta e a da Conmebol.

Neste quarto dia de julgamento, a defesa do paraguaio Juan Angel Napout foi quem conduziu o interrogatório ao delator Alejandro Burzaco. Além de Napout, são réus o brasileiro José Maria Marin e o peruano Manuel Burga.

Marin, Napout e Burga são acusados pelos crimes fraude, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Presos desde 2015, os três alegam inocência e foram os únicos dos 42 réus do Caso Fifa que não aceitaram fazer acordo.

Leia mais:

 

Imigração dos EUA está abordando e deportando residentes ilegais

A Imigração e Alfândega dos Estados Unidos planeja aumentar seus esforços de monitoramento e controle de empresas e vai processar àquelas que contratarem mão de obra de trabalhadores indocumentados nos Estados Unidos. A declaração foi feita no dia 19 de outubro pelo Diretor Interino de Imigração e Alfândega dos EUA durante evento no Arizona.

No evento, um porta-voz da Câmara de Comércio do estado do Arizona disse que os empresários estão dispostos a cumprir a lei e criticaram a administração de Trump com relação à abordagem hostil com os empresários. Atualmente as empresas do Arizona são obrigadas a utilizar um sistema de verificação de status imigratório chamado de E-Verify para saber se o candidato à vaga detém cidadania ou o direito de trabalhar nos Estados Unidos.

O Diretor da imigração disse que gostaria de ver o sistema ser utilizado em todo o País. Ainda em seu discurso, Homan criticou as cidades-santuário e defendeu a política ‘Trump’ de deportar imediatamente imigrantes que tenham registro criminal ou praticado algum delito nos Estados Unidos.

SISTEMA DE VERIFICAÇÃO DE STATUS

A U.S Immigration Costoms Enforcement, ou Imigração e Alfândega dos EUA, foi uma das agências Federais que contribuíram para a elaboração da lista de prioridades da políticaimigratória divulgada este mês pela Casa Branca. Entre os mais de 70 itens da lista, há um que prevê que os empregadores de todo o país sejam obrigados a usar o sistema E-Verify.

O uso do E-Verify, como uma base de dados Federal que ajudasse os empregadores a determinar o status de cidadania dos candidatos a emprego, foi uma das promessas no quesito imigração feitas pelo presidente Donald Trump durante sua campanha. A administração incluiu um pedido de US $ 131,5 milhões no orçamento para upgrades da atual versão do E-Verify, com o objetivo de expandir o sistema para o país em até três anos.

MÃO DE OBRA DE INDOCUMENTADOS

Para a brasileira e advogada de imigração, Renata Castro, os números divulgados na análise recente do Centro de Estudos de Imigração com base no Censo americano são prova de que não será tão fácil implementar o sistema de verificação de status em todo o país. Os dados divulgados mostram que a população imigrante dos EUA (legal e ilegal) atingiu um record de 43,7 milhões em 2016 e já é a mais alta dos últimos 106 anos. Os imigrantes representam hoje, segundo o estudo, quase 1 em cada 5 residentes dos EUA.

“A população indocumentada é a base da mão de obra de importantes setores econômicos aqui nos EUA. A Federação Agrícola dos Estados Unidos, por exemplo, estima que 60% da mão de obra da agricultura seja formados por esses imigrantes. A existência das cidades-santuário, criticada pela atual administração, é totalmente condicionada à postura de adoção de mão de obra de baixo custo que os EUA precisam e gostam”, pondera a Advogada de imigração.

Renata Castro destaca que a pressão da imigração sobre as empresas faz parte de um jogo de intimidação que a gestão Trump tem procurado adotar deste o início do mandato. “A capilaridade do País e a diversidade que temos não deve garantir a facilidade para que um sistema único de controle seja aplicado, mas a imigração sabe que apenas pelo anúncio já deve intimidar vários empresários que temerão penalidades ao contratar indocumentados”, afirma Castro. (fonte: Comex do Brasil)

https://www.braziliantimes.com/imigracao/2017/11/06/imigracao-anuncia-plano-para-monitorar-empresas-que-contratam-indocumentados.html

Mulher condenada por matar cães e gatos tem pena aumentada

Condenada em 2015 a 12 anos de prisão por matar 37 cães e gatos, a dona de casa Dalva Lina da Silva teve sua pena aumentada para 17 anos e seis meses em decisão de segunda instância tomada pela 10ª Câmara de Direito Criminal em São Paulo.

Na última sexta-feira, ao cumprir mandado de prisão, policiais a e a promotora do caso não conseguiram localizar a mulher em nenhum dos endereços informados à Justiça e, por isso, ela passou a ser considerada foragida.

Essa é a primeira vez que alguém no Brasil é condenado a uma pena tão severa por maltratar animais. Dalva foi condenada a 16 anos e seis meses pela morte dos animais, além de um ano por uso de medicamentos de uso restrito a veterinários. De acordo com a investigação, ela executava os bichos com uma injeção no coração.

O crime foi revelado em 2012 depois que uma ONG contratou um detetive particular para investigar a mulher, conhecida por acolher animais, porque desconfiou da rapidez com que ela dizia arrumar lares para os bichos.

O detetive flagrou Dalva colocando sacos de lixo na frente da casa de uma vizinha na Vila Mariana, bairro da zona sul de São Paulo. A polícia foi chamada e encontrou os animais enrolados em panos e jornais.

Dalva foi detida em flagrante, mas aguardava em liberdade o julgamento do recurso.

“Esta condenação com este nível de severidade é única no mundo e é totalmente inédita no Brasil. Esperamos que este caso dê incentivo para outros juízes que atuam nesta área”, afirmou a promotora Vânia Tuglio ao jornal O Globo.

Informações sobre o paradeiro de Dalva Lina devem ser encaminhadas à 1ª e 2ª Delegacia de Meio Ambiente, pelo número 181 ou diretamente ao Grupo Especial de Crimes Ambientes (Gecap), do Ministério Público de São Paulo.

https://br.noticias.yahoo.com/mulher-condenada-por-matar-caes-e-gatos-tem-pena-aumentada-120522282.html

Três milhões de pessoas sofrem com golpe no WhatsApp que promete habilitação de graça

Usuários caem em golpe pelo WhatsApp

Um novo golpe usa o programa Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Social como isca no WhatsApp. Mais de 270 mil pessoas já foram afetadas diretamente e, com base no total de usuários de smartphones do país, a projeção é que outros três milhões tenham sido afetados em uma semana, de acordo com os dados da empresa de segurança e tecnologia PSafe. ( Usuários caem em golpe pelo WhatsApp Foto: Divulgação)

Segundo a empresa, hackers estão atacando pessoas que recebem menos de 2 salários mínimos ou que estão desempregadas há mais de um ano. Essa é a população que tem direito a participar do programa CNH Social, que possibilita se habilitar na categoria ‘B’, de forma gratuita.

Com a promessa de que há uma nova seleção de candidatos à CNH Social, o golpe solicita ao usuário o preenchimento de seus dados pessoais como nome completo, data de aniversário e estado no qual reside. Em seguida, ele é induzido a compartilhar a falsa promessa com dez amigos ou em cinco grupos do WhatsApp.

Após clicar três vezes no botão compartilhar, é redirecionado para uma página no Facebook que contém posts sobre outros programas governamentais, como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida, com intuito de dar credibilidade ao anúncio. Até o momento, a página conta com mais de 4,5 mil seguidores e o post da promessa já tem mais de 10 mil compartilhamentos.

— Diariamente, centenas de milhares de links maliciosos são espalhados via WhatsApp sem que as pessoas saibam que estão ajudando os hackers a disseminarem seus golpes. Neste caso específico, o cibercriminoso está aplicando métodos de engenharia social ao ampliar sua base de contatos para a veiculação de novos golpes e até mesmo ganhar dinheiro expondo/vendendo dados pessoais dos usuários. Queremos alertar a população para que evite clicar ou compartilhar links sem antes conferir se são verdadeiros ou falsos — afirma Emilio Simoni, Diretor do DFNDR Lab.

Para não se tornar uma vítima de hackers, Emilio também reforça a necessidade dos usuários de smartphone terem instalado um software de segurança com a função ‘anti-phishing’ ou ‘anti-hacking’, como o DFNDR Security, pois esse sistema é capaz de analisar todas as ameaças existentes no mundo virtual e alertá-los em tempo real sobre as ameaças recebidas.

 https://extra.globo.com/noticias/economia/golpe-no-whatsapp-que-promete-habilitacao-de-graca-afeta-tres-milhoes-de-pessoas-22020883.html