SEM ECA: Adolescente que hackeou autoridades dos EUA é condenado a dois anos de prisão

Kane Gamble

Um adolescente britânico foi condenado a dois anos de prisão por hackear os computadores de oficiais do governo americano, entre eles o diretor da CIA e o vice-diretor do FBI. (Kane Gamble | Foto: ITV News / Canaltech)

O crime aconteceu entre junho de 2015 e fevereiro de 2016, ganhando destaque na mídia em outubro do ano passado. Kane Gamble, que na época tinha apenas 15 anos, se declarou culpado de 10 acusações, sendo oito por “executar uma função com a intenção de garantir acesso não autorizado” e duas de “modificação não autorizada de material em computador”.

Os crimes

Utilizando o codinome “Cracka”, Gamble era líder de um grupo conhecido como “Crackas With Attitude (Crackas com Atitude), ou CWA, e tinha como missão chegar até os governantes dos Estados Unidos. Os fatores que motivaram os cibercriminosos a fazerem os ataques surgiram por entenderem “o quão corrupto e frio é o governo dos EUA”.

Os jovens obtiveram acesso à conta de e-mail da AOL de John Brennan, ex-diretor da CIA, e disseram que “foi muito fácil” e que “até uma criança de cinco anos poderia fazê-lo”.

Em seguida, o grupo invadiu diversas contas pertencentes a James Clapper, ex-diretor de inteligência nacional, como seu e-mail pessoal, o de sua esposa, além de sua conta de telefone e de internet. Supostamente, os hackers também fizeram com que todas as chamadas para o número residencial de Clapper fossem redirecionadas ao Movimento Palestino Livre.

Também sofreram ataques as contas de Amy Hess, diretora assistente da divisão de ciência e tecnologia do FBI, usadas para baixar filmes comoHackers V de Vingança e filmes pornográficos.

Os cibercriminosos também atacaram as contas de outros nomes importantes, como Mark Guiliano, ex-vice-diretor do FBI; Avril Haines, o vice-conselheiro de segurança nacional de Barack Obama; e John Holdren, conselheiro sênior de tecnologia de ciência e tecnologia, também do ex-presidente dos Estados Unidos.

Os adolescentes tiveram acesso a documentos secretos com informações sobre operações militares e de inteligência no Iraque e no Afeganistão, divulgando dados de contato de mais de 2 mil policiais federais e locais.

Justificativa

Apesar de afirmar à Justiça que estava sendo ingênuo e que nunca teve a intenção de prejudicar suas vítimas, Gamble foi sentenciado. Segundo informações da BBC, o juiz descreveu o crime do jovem como “uma campanha extremamente desagradável de terrorismo cibernético com motivação política”.

Para aliviar sua reputação, Gamble estava divulgando bugs de segurança que podem ser perigosos para dados de empresas, mas agora vai passar dois anos cumprindo pena em um centro de detenção para jovens.

Anúncios

PIADA DE BANDIDO: Em carta a petistas, Lula diz que Judiciário deve decidir a favor dele por ser inocente

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse haver “insinuações” de que seria mais fácil uma votação a favor dele nos tribunais superiores se não for candidato nas eleições e “não falar contra a condenação”, mas defendeu que o Judiciário o julgue por ser inocente, em carta lida em Curitiba nesta segunda-feira pela presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann.

A defesa do ex-presidente deve recorrer em breve ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) questionando o mérito da condenação.

“Querida Gleisi, a Suprema Corte não tem que absolver porque sou candidato, porque vou ficar bonzinho. Ela tem que votar porque sou inocente e também para recuperar o papel constitucional que ela quer, que é ser garantia do comportamento da Constituição”, afirmou.

Na carta, o ex-presidente disse estar feliz com o resultado das pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República, onde aparece na liderança mesmo após a prisão no dia 7. Para ele, o ano de 2018 é “muito importante para o PT, para a esquerda, para a democracia e para mim”. “Eu quero minha liberdade”, destacou.

Lula permanece na dianteira, conforme os dados da última pesquisa Datafolha, embora tenha perdido algum fôlego. O PT segue dizendo que irá inscrevê-lo na sucessão presidencial em agosto, mesmo com ele detido e sob risco de não poder concorrer por possivelmente vir a ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

Ao final, o petista disse que a “luta continua até a vitória final”.

Nesta segunda, o Diretório Nacional do PT aprovou uma resolução com 19 pontos de atuação da legenda. Entre eles, reafirmar a candidatura de Lula, fortalecer a denúncia do “golpe e da prisão ilegal” do ex-presidente na mídia global e apresentar nas próximas semanas o programa de governo. (Por Ricardo Brito)

Menina de 11 anos inventou que foi estuprada por 14 homens, diz polícia

Resultado de Imagem Para Menina De 11 Anos Inventou Por Estuprada Por 14 Homens, Diz Polícia
A menina de 11 anos que afirmou ter sido violentada por ao menos 14 indivíduos durante um baile funk em Praia Grande, no litoral sul de São Paulo, inventou a história. A informação foi confirmada na noite desta segunda-feira (23) pelo delegado titular da cidade, Carlos Henrique Fogolin de Souza. De acordo com o delegado, o laudo do exame feito na menina pelo Instituto Médico-Legal (IML) constatou ausência de lesões compatíveis com uma agressão de tamanha intensidade. O procedimento verificou, inclusive, que a menina sequer manteve relação sexual recentemente.
Outra informação que derrubou a denúncia de estupro foi a de que nenhum baile funk foi organizado na cidade na data da suposta ocorrência, a quarta-feira (18). Agora, a mulher chamada de “tia por consideração” pela menina se tornou alvo de investigações porque mentiu em depoimento oficial à polícia. A mulher relatou que a garota havia sofrido o abuso sexual dentro do baile funk, mas não lembrava de quase nada porque havia ingerido muita bebida alcoólica, e não poderia voltar para casa porque fora expulsa pela mãe. Um boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado na Delegacia Sede da cidade no domingo, 22, e as investigações eram conduzidas pela Delegacia da Mulher, com acompanhamento da Promotoria da Infância e Juventude.
A criança foi retirada da guarda da mãe e ficou sob responsabilidade do Serviço de Acolhimento de Crianças e Adolescentes do município porque os promotores queriam avaliar o grau de vulnerabilidade dela. A mãe da menina afirmou que jamais expulsou a filha de casa. Ela está aposentada por invalidez, tem vários problemas de saúde, é submetida a constantes sessões de hemodiálise e estava internada em um hospital da cidade. Dois irmãos da vítima, filhos da mesma mãe, vivem em outra residência.
No domingo, segundo a Prefeitura de Praia Grande, a menina recebeu atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Quietude, onde os médicos constataram hemorragia e confirmaram que a paciente havia tido relações sexuais recentes, mas a Polícia Civil afirma que a garota estava menstruada, condição confirmada pelo IML.

Enfim, Facebook detalha o que é proibido na rede social

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Foto: Justin Sullivan/Getty Images)

Em junho de 1972, Nick Ut flagrou com suas lentes uma menina correndo nua, aos prantos, após o vilarejo onde morava ser bombardeado por napalm. O registro rendeu ao fotógrafo o Prêmio Pulitzer e mudou os rumos da Guerra do Vietnã. Décadas depois, em 2016, o Facebook considerou a imagem abusiva e, por algum motivo não revelado, a censurou. Agora, na berlinda pela falta de transparência com que gere dados de 1,5 bilhão de pessoas, a rede social decidiu revelar detalhes de como avalia o conteúdo que deve ser banido. E autores de publicações retiradas do ar poderão apelar da decisão.(MARK ZUCKERBERG, CEO DO FACEBOOK (FOTO: JUSTIN SULLIVAN/GETTY IMAGES)

“Uma das questões que mais recebemos é sobre como decidimos o que é permitido no Facebook”, disse Monika Bickert, vice-presidente de Global de Gerenciamento de Produto, em comunicado. “Por anos, nós tivemos nosso Padrão de Comunidade que explica o que fica e o que é retirado. Hoje, estamos dando um passo além publicando as diretrizes internas que usamos para aplicação desse padrão. E, pela primeira vez, estamos dando a você o direito de apelar de nossas decisões, então você pode pedir por uma segunda opinião quando achar que cometemos um erro”.

Até então, os usuários eram informados de forma vaga sobre o que poderia ou não ser publicado na rede. A documentação divulgada explica, por exemplo, o motivo da censura à fotografia de Nick Ut — ela foi republicada pela empresa, com pedido formal de desculpas. É proibida a publicação de “conteúdo que caracterize nudez infantil, em que se define nudez como genitália exposta” e “ausência de roupas do pescoço aos joelhos para crianças que não são mais bebês”.

Os seios femininos também são alvo constante de polêmicas. O Facebook deixa claro que a exibição de imagens com nudez ou atividade sexual é proibida, mas expressões artísticas ou científicas são permitidas. Em março deste ano, a rede censurou uma imagem do quadro “A Liberdade guiando o povo”, de Eugène Delacroix, ícone da Revolução de Julho. Foi um erro.

Segundo a documentação divulgada nesta terça-feira, “mamilos femininos descobertos” são proibidos, “salvo no contexto de amamentação, parto e momentos pós-parto, saúde (por exemplo, mastectomia, conscientização sobre o câncer de mama ou cirurgia de confirmação de gênero) ou ato de protesto”. Além disso, “fotos de pinturas, esculturas e outras obras de arte que retratem figuras nuas” também são permitidas.

Notícias falsas não são removidas
Sobre as notícias falsas, não existe uma política de remoção de conteúdo publicado na rede, mas um esforço para reduzir a disseminação do material na rede social. “Existe uma linha tênue entre notícias falsas e sátiras ou opiniões”, diz a diretriz interna. “Por esse motivo, não removemos notícias falsas do Facebook, mas, em vez disso, reduzimos significativamente sua distribuição, mostrando-as mais abaixo no Feed de Notícias”.

Alguns pontos do documento chamam a atenção, como a proibição de participação na rede de “assassinos em série ou em massa”. Criminosos condenados por matar uma pessoa podem participar da rede, mas se mataram duas ou mais, em diferentes ocasiões; ou quatro ou mais, num mesmo incidente, são proibidos.

Em entrevista à Associated Press, Monika afirmou que a divulgação das diretrizes detalhadas é resultado de um trabalho de longo prazo, não tendo qualquer relação com as pressões recentes sobre o diretor-executivo da companhia, Mark Zuckerberg, após o escândalo envolvendo a Cambridge Analytica.

“Eu estou neste trabalho há cinco anos e sempre quis fazer isso”, contou a executiva. “Decidimos publicar essas diretrizes internas por dois motivos. Em primeiro lugar, elas ajudarão as pessoas a entenderem onde traçamos a linha em questões sutis. Segundo, ao fornecer esses detalhes tornamos mais fácil para que as pessoas, incluindo especialistas em diferentes campos, nos deem feedback para que possamos melhorar as diretrizes e as decisões que tomamos.”

7,5 mil funcionários revisando conteúdo
Ela explicou que as diretrizes internas estão em constante evolução, sendo alteradas de tempos em tempos dependendo das demandas. Mesmo assim, não é tarefa fácil gerenciar tamanha quantidade de conteúdo, em diferentes países. Como uma empresa global, o Facebook precisa lidar com questões culturais e regionais na definição do que pode ou não ser permitido. Por esse motivo, algumas regras são radicais, como a proibição do nudismo. Segundo Monika, é difícil determinar visualmente o “consentimento e a idade” das pessoas fotografadas.

Para analisar todos os conteúdos denunciados, a companhia usa ferramentas de inteligência artificial, mas elas não são capazes de apontar questões contextuais sutis, nem o humor ou a sátira. Por isso, um exército de 7,5 mil funcionários, espalhado por escritórios em 11 países, faz a revisão do material em 40 línguas diferentes. Mesmo assim, humanos cometem erros.

“Em alguns casos, nós cometemos erros poque nossas políticas não são suficientemente claras para os nossos revisores de conteúdo. Quando este é o caso, nós trabalhamos para preencher essas lacunas”, afirmou Monika. “Mais frequentemente, no entanto, cometemos erros porque nossos processos envolvem pessoas, e as pessoas são falíveis”.

Três jovens caem de ponte no Piauí ao tirar selfie e sofrem fraturas

Adolescentes ficaram feridas ao cair de ponte durante selfie em Castelo do Piauí (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Três adolescentes ficaram feridas na tarde de domingo (22) após cair de uma ponte de concreto na localidade Xinguara, zona rural de Castelo do Piauí, Norte do estado. Segundo a Polícia Civil, as vítimas faziam selfies, quando a mureta de uma guarita desabou e elas caíram de uma altura de 10 metros. Foto acima, divulgada pela Polícia Civil, mostra as jovens momentos antes da queda. (Adolescentes ficaram feridas ao cair de ponte durante selfie em Castelo do Piauí (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

“A ponte passa sobre o rio Cais, que divide as cidades de Castelo do Piauí e Buriti dos Montes, e é utilizada como linha férrea, apesar de degastada com o tempo. As adolescentes estavam tirando selfie no local, quando a mureta desabou com elas. Por sorte elas sobreviveram e foram socorridas por populares”, informou o policial Marcelo Freitas.

Quatro garotas estavam no local, mas apenas três caíram. Elas receberam o primeiro atendimento ainda no Hospital regional de Castelo do Piauí e foram encaminhadas de ambulância durante a noite para o Hospital de Urgência de Teresina, a 190 km de distância.

Valéria Alves Ferreira, de 22 anos, e uma amiga, de 15 anos, tiveram fraturas nas pernas. Elas passaram por uma cirurgia e estão conscientes. Já a terceira jovem, de 16 anos, teve fratura perto do calcanhar esquerdo.

https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/tres-jovens-caem-de-ponte-no-piaui-ao-tirar-selfie-e-sofrem-fraturas.ghtml

Radar flagra pato voando a 52 km/h onde o máximo permitido é 30 km/h em rua na Suíça

Câmera de trânsito flagra pato voando acima do limite de velocidade em rua na Suíça (Foto: Gemeinde Köniz/Facebook)

Uma câmera de controle de velocidade flagrou um pato voando acima do limite de velocidade de uma rua em Köniz, na Suíça, na última sexta (20). (Câmera de trânsito flagra pato voando acima do limite de velocidade em rua na Suíça (Foto: Gemeinde Köniz/Facebook)

A câmera fotografou o pato, que voava a baixa altitude e a uma velocidade de 52 km/h, quando no local o máximo que motoristas podem fazer é 30 km/h.

A polícia informou que um pato semelhante havia ultrapassado o limite de velocidade três dias antes, mas não há como saber se era o mesmo animal.

https://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/camera-de-transito-flagra-pato-voando-acima-do-limite-de-velocidade-em-rua-na-suica.ghtml

Mulher sem braços se torna professora após ser barrada em escola na Tailândia

A professora tailandesa Patcharamon Sawana  (Foto: Reprodução BBC)

A cada começo de ano, os novos alunos da professora tailandesa Patcharamon Sawana costumam se surpreender em sala de aula. (A professora tailandesa Patcharamon Sawana (Foto: Reprodução BBC)

VEJA O VÍDEO

Ela não tem braços e escreve no quadro negro com os dedos do pé.

Mas não é só isso que impressiona.

Patcharamon só começou a cursar a escola quando tinha 20 anos.

Durante sua infância, nenhum colégio de sua província queria aceitá-la.

Ela só pôde estudar após uma lei permitir o acesso de pessoas com deficiência a escolas comuns.

“Ainda me lembro do meu primeiro dia de trabalho. Meus alunos ficaram espantados em me ver usando meu pé para escrever no quadro negro”, diz.

Ambiciosa, Patcharamon não parou de estudar – ela acabou de se formar em Direito.

“Hoje, estou fazendo um exame de habilitação que me permitirá trabalhar na profissão”, diz ela.

A professora tailandesa Patcharamon Sawana escreve com os pés (Foto: Reprodução BBC)
“Quero poder pagar minhas contas sendo advogada para sustentar minha família e ensinar os outros”, acrescenta. (A professora tailandesa Patcharamon Sawana escreve com os pés (Foto: Reprodução BBC)

Os estudos permitiram expandir os horizontes de Patcharamon.

“Não queria que os outros ditassem o que eu poderia ou não poderia fazer porque sou deficiente”, diz.

“Quero romper com a norma social que os outros criaram para quem tem algum tipo de deficiência”, conclui.

https://g1.globo.com/educacao/noticia/mulher-barrada-em-escola-por-nao-ter-bracos-desafia-obstaculos-e-se-torna-professora.ghtml