Homossexual francês adepto do Candomblé é morto em Paraty

Cedric Alexandre Vacherie Jaurgoyhen foi morto com tiro de espingarda em Paraty (Foto: Foto/Redes Sociais)

Os familiares do francês Cedric Alexandre Vacherie Jaurgoyhen, de 33 anos, morto com um tiro na cabeça em Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro, aguardam uma decisão judicial para o corpo ser liberado do Instituto Médico Legal (IML) de Angra dos Reis. Parentes da vítima que moram no Brasil e na França estão na cidade. (Cedric Alexandre Vacherie Jaurgoyhen foi morto com tiro de espingarda em Paraty (Foto: Foto/Redes Sociais)

Segundo familiares, o corpo de Cedric será cremado e as cinzas devem ser levadas para Cannes, na França, onde nasceu a vítima. Amigos e parentes do francês estão chocados e muito abalados com o crime.

A polícia investiga o caso e segue diferentes linhas de investigação. Uma delas é a de crime por intolerância, já que o estrangeiro era homosexual e adepto do candomblé. O caso foi registrado na 167ª Delegacia de Polícia (Paraty). Até a publicação desta reportagem, ninguém tinha sido preso.

Casa da vítima estava queimada

O corpo de Cedric foi encontrado na manhã de sexta-feira (13) no sítio onde morava, que fica na Estrada da Colônia, na Barra Grande, localidade afastada do Centro de Paraty. Ele foi atingido com um tiro de espingarda na cabeça e a residência dele estava queimada.

https://g1.globo.com/rj/sul-do-rio-costa-verde/noticia/familiares-de-frances-morto-em-paraty-rj-aguardam-decisao-judicial-para-corpo-ser-liberado.ghtml

Anúncios

Golpistas roubam dados e sacam seguro-desemprego de trabalhadores

Resultado de imagem para Golpistas roubam dados e sacam seguro-desemprego de trabalhadores

Uma fraude no seguro-desemprego tem causado prejuízo a trabalhadores demitidos em todo o país. Golpistas roubam os dados e conseguem sacar o benefício no lugar das vítimas.

A Ivani precisou do seguro depois de sair da empresa onde trabalhou por 17 anos. Sacou a primeira parcela diretamente no banco, no dia 20 de maio. Um mês depois, levou um susto quando percebeu que tinha sido vítima de fraude.

“Eu achei que eles tinham depositado direto na conta, foi no caixa eletrônico, o dinheiro não estava. É um desgaste total e dormir e acordando achando que vão te roubar as outras parcelas.  No meu caso, faltam três”, disse Ivani Souza.

Ao procurar a Caixa Econômica Federal descobriu que a senha do cartão em nome dela foi criada numa lotérica de Madureira, na Zona Norte do Rio. A loja garante que toma todos os cuidados para não aceitar documentos falsos.

“Isso aqui é o ramo onde o golpista aproveita, aproveita. Nós temos 20 e tantos anos de loteria e atualmente, infelizmente, isso se tornou uma profissão”, disse João Arnaldo Lourenço, dono da lotérica.

A Ivani foi informada pela Caixa Econômica que a segunda parcela do seguro-desemprego foi sacada num caixa eletrônico numa agência no dia 19 de junho, às 9h30. Foi orientada a fazer um boletim de ocorrência e abrir um processo no Ministério do Trabalho, mas foi avisada de que vai precisar de muita paciência para receber o dinheiro dela de volta.

“Falaram que pode demorar mais de dois anos”, disse Ivani.

A Caixa informou que atua na prevenção de fraudes e monitora os pagamentos. O Ministério do Trabalho confirmou que recebe denúncias de irregularidades todos os dias e que a Polícia Federal investiga em sigilo fraudes no seguro-desemprego.

“Tanto na agência quanto na Secretaria de Trabalho e Emprego me informaram que já tinha vários casos deste tipo, na faixa de 300 só naquele mês”, contou Luiz Fernando da Silva, técnico em segurança do trabalho, outra vítima.

A professora Simone Cordeiro perguntava:

“Mas como a pessoa vai clonar o cartão-cidadão no estado do Rio de Janeiro e vai sacar lá no estado do Ceará”.

Simone, Luiz Fernando, Matheus, Ivani. Centenas de vítimas. São desempregados que precisam do seguro para chegar no fim do mês.

“Tenho uma filha de 1 ano. Desempregado com filha de 1 ano. A segunda parcela ia dar aquela salvada. Não teve”, disse Matheus.

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2018/07/golpistas-roubam-dados-e-sacam-seguro-desemprego-de-trabalhadores.html

Bebê de dois meses cai do segundo andar de casa no ES e sobrevive

Janela de onde bebê de dois meses caiu, no bairro Piranema, em Cariacica (Foto: Ari Melo/TV Gazeta)

Um bebê de dois meses sobreviveu após cair do segundo andar de casa, na Rua São José, no bairro Piranema, em Cariacica, na Grande Vitória. O caso aconteceu na noite desta segunda-feira (16). (Janela de onde bebê de dois meses caiu, no bairro Piranema, em Cariacica (Foto: Ari Melo/TV Gazeta))

Segundo testemunhas, Murilo dos Santos Carlos estava dormindo e acordou chorando. Uma prima de nove anos o tirou do berço e começou a niná-lo perto da janela.

Bebê sobreviveu após cair do segundo andar em Cariacica (Foto: Acervo pessoal)

A estudante Larissa dos Santos, de 19 anos, mãe do bebê, disse que a sobrinha se desequilibrou com um movimento brusco da criança e deixou o primo cair.

Uma planta amorteceu a queda no quintal do vizinho e o menino não se feriu gravemente.

Um vizinho socorreu a criança, que foi levada ao Hospital Infantil de Vitória. Lá, Murilo foi atendido e permanece em observação, mas fora de perigo.

Bebê sobreviveu após cair do segundo andar em Cariacica (Foto: Acervo pessoal)

Na hora do acidente, Larissa contou que tinha ido até o primeiro andar, na casa da irmã, para buscar um prato. Quando soube da queda, ficou em choque. (O bebê chegou a ser resgatado pela avó, que desmaiou com o susto.)

“Quando estava subindo, minhas sobrinhas falaram que o neném estava do outro lado chorando. Eu não acreditei, achei que fosse brincadeira delas. Quando vi, fiquei em choque, não sabia o que fazer, se pegava ou se pedia socorro”, disse.

A mãe chegou a ser levada à delegacia, onde assinou um termo circunstanciado e foi liberada. Ela contou que o bebê é muito grande e pegou impulso no colo da prima.

O menino caiu por cima de uma planta, e escorregou até o quintal do vizinho, caindo sentado.

https://g1.globo.com/es/espirito-santo/noticia/bebe-de-dois-meses-cai-do-segundo-andar-de-casa-no-es-e-sobrevive.ghtml

Airbags assassinos obrigam Ford a acordo de US$ 299 milhões nos EUA

Inflador de airbag da takata (no detalhe) já causou recall de milhões de carros no mundo inteiro (Foto: REUTERS/Joe Skipper)

Ford fez um acordo de US$ 299 milhões (R$ 1,15 bilhão) para indenizar clientes afetados pelos problemas do chamados “airbags mortais” nos Estados Unidos, segundo a agência Reuters. (Inflador de airbag da takata (no detalhe) já causou recall de milhões de carros no mundo inteiro (Foto: REUTERS/Joe Skipper)

O acordo cobrirá diversas formas de “perdas econômicas” de consumidores, que entraram com ação coletiva alegando que os veículos foram vendidos como “seguros”, pagaram mais por modelos com airbags ou tiveram algum prejuízo com carro parado por recall.

Outras seis fabricantes (Honda, Toyota, Nissan, Mazda, Subaru e BMW) já fizeram acordos semelhantes para acabar com os processos nos EUA, somando mais de US$ 1,2 bilhão (R$ 4,6 bilhões), de acordo com a Reuters.

O defeito

Entenda o caso dos 'airbags mortais' da Takata; Brasil tem recalls

Entenda o caso dos ‘airbags mortais’ da Takata; Brasil tem recalls

A falha nos dispositivos produzidos pela japonesa Takata por anos faz com que o airbag abra com muita força, em caso de acidente.

O problema está na vedação do insuflador, onde fica o gás que faz o airbag ser acionado. A peça pode trincar, e a exposição à umidade também pode alterar o gás.

Assim, quando há uma colisão e o airbag deve ser acionado, ele não abre corretamente, e explode.

O insuflador (que tem peças metálicas) se parte e seus pedaços são atirados contra os ocupantes dos veículos. Até por isso, os ferimentos de algumas vítimas foram confundidos com facadas ou tiro.

Mortes e recall no Brasil

Vítima de 'airbag mortal' faz apelo para proprietários atenderem recalls

Fora do Brasil os defeitos em airbags da Takata estão relacionados a 23 mortes e provocaram o maior recall da história, com cerca de 2 milhões de veículos só no Brasil (veja a lista). (Vítima de ‘airbag mortal’ faz apelo para proprietários atenderem recalls)

Mais de 1 milhão de carros ainda precisam trocar as bolsas infláveis por aqui. Só em 2018, a Ford convocou mais de 37 mil unidades da picape Ranger para substituir o “airbag mortal” no Brasil.

Nos Estados Unidos, um homem de 52 anos morreu depois que sua Ranger colidiu com uma vaca. O acidente foi considerado leve, mas os estilhaços de metal atingiram o pescoço do motorista, que morreu por causa da hemorragia.

Outra morte ocorreu em veículo da Ford, mas a maioria aconteceu em modelos Honda: foram 21 no total. Não há relatos de mortes pelo problema no Brasil.

https://g1.globo.com/carros/noticia/ford-faz-acordo-de-us-299-milhoes-por-airbags-mortais-nos-eua.ghtml

Doença sexualmente transmissível pouco conhecida se alastra e alarma médicos por resistência a antibióticos

O uso de camisinha é o principal meio de prevenção, segundo especialistas (Foto: Asscom/Sesa ES)

Uma infecção sexualmente transmissível pouco conhecida pode se transformar em uma superbactéria resistente a tratamentos com antibióticos mais conhecidos, segundo um alerta feito por especialistas europeus.

A Mycoplasma genitalium (MG), como é conhecida, já tem se mostrado resistente a alguns deles e, no Reino Unido, autoridades de saúde trabalham com novas diretrizes para evitar que o quadro vire um caso de emergência pública.

O esforço é para identificar e tratar a bactéria de forma mais eficaz, mas também para estimular a prevenção, com o uso de camisinha.

O que é a MG?

A Mycoplasma genitalium é uma bactéria que pode ser transmitida por meio de relações sexuais com um parceiro contaminado.

Nos homens, ela causa a inflamação da uretra, levando a emissão de secreção pelo pênis e a dor na hora de urinar.

Nas mulheres, pode inflamar os órgãos reprodutivos – o útero e as trompas de falópio – provocando não só dor, como também febre, sangramento e infertilidade, ou seja, dificuldade para ter filhos.

A infecção, porém, nem sempre apresenta sintomas.

E pode ser confundida com outras doenças sexualmente transmissíveis, como a clamídia, que é mais frequente no Brasil.

Preocupação

A ascensão da MG ocorre principalmente no continente europeu, mas, no Brasil, o Ministério da Saúde diz que monitora a bactéria tanto pelo aumento da prevalência quanto pelo aumento da resistência antimicrobiana.

Como a infecção por essa bactéria não é de notificação compulsória no país, ou seja, as secretarias de saúde dos Estados e municípios não são obrigadas a informar os casos, não se sabe quantas são as pessoas atingidas.

No entanto, segundo o Ministério da Saúde, estudos regionais demonstram que ela “é muito menos frequente que outros agentes como a N. gonorrhoeae (responsável pela gonorreia) e Chlamydia trachomatis (responsável pela clamídia) – que, quando não tratadas, também podem causar infertilidade, dor durante as relações sexuais, entre outros danos à saúde.

No Reino Unido, por outro lado, o quadro preocupa, segundo a Associação Britânica de Saúde Sexual e HIV (BASHH, da sigla em inglês).

A associação afirma que as taxas de erradicação da bactéria após o tratamento com um grupo de antibióticos chamados macrolídeos estão diminuindo.

E que a resistência da MG a esses antibióticos é estimada em cerca de 40% no Reino Unido.

Um outro tipo de antibiótico, porém, a azitromicina, ainda funciona na maioria dos casos.

Diretrizes

Novas diretrizes detalhando a melhor forma de identificar e tratar a MG estão sendo lançadas, nesse contexto, no Reino Unido.

Já existem testes para detectar a bactéria, mas eles ainda não estão disponíveis em todas as clínicas da Inglaterra, onde os médicos podem, entretanto, enviar amostras para o laboratório da Public Health England – a agência executiva do Departamento de Saúde e Assistência Social – para obter um diagnóstico.

Peter Greenhouse, especialista em DSTs, recomenda às pessoas que tomem precauções.

“Já é hora de o público aprender sobre a Mycoplasma genitalium”, disse ele. “É mais um bom motivo para por camisinhas nas malas das férias de verão – e realmente usá-las.”

No Brasil, o Ministério da Saúde afirma que “a realidade ainda é muito diferente da Inglaterra”, mas que é necessário identificar os casos e tratá-los “para interromper a cadeia de transmissão”.

“Vale destacar que a camisinha masculina ou feminina é fornecida gratuitamente pelo Sistema único de Saúde (SUS), podendo ser retirada nas unidades de saúde de todo o país”, lembra.

https://g1.globo.com/bemestar/noticia/doenca-sexualmente-transmissivel-pouco-conhecida-se-alastra-e-alarma-medicos-por-resistencia-a-antibioticos.ghtml

Homem destrói com golpes de machado caixa que controla semáforo em Macapá

Ação foi no dia 8 de maio, no bairro Santa Rita (Foto: Reprodução)

Imagens do circuito interno de um estabelecimento comercial mostram um homem golpeando mais de 40 vezes, com um “machadinho”, uma caixa semafórica, que comanda todo o sistema de controle elétrico da sinalização, no cruzamento da Rua Hildemar Maia com a Avenida Feliciano Coelho, no bairro Santa Rita, Zona Sul de Macapá. (Ação foi no dia 8 de maio, no bairro Santa Rita (Foto: Reprodução)

O flagrante, feito às 14h42 do dia 8 de maio, mostra o homem caminhando na Rua Hildemar Maia, aparentemente normalmente, vestindo calça jeans e blusa de manga curta, e com o machadinho na mão esquerda. Ele segue em direção à caixa de sinalização, instalada em um poste, e começa a desferir os golpes, para por alguns segundos e volta a depredar a caixa. A ação dura menos de três minutos.

As imagens foram cedidas para a Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá (CTMac), que divulgou os vídeos somente nesta segunda-feira (16), como forma de conscientizar a população sobre a importância de se preservar os equipamentos de sinalização da cidade.

Caixa controladora danificada fica no cruzamento da Rua Hildemar Maia com a Avenida Feliciano Coelho (Foto: Rita Torrinha/G1)

“É uma cena do filme ‘Dia de Fúria’. Um homem comum, que parece normal, e tem uma atitude dessa. Registramos boletim de ocorrência, a empresa responsável pela manutenção está acompanhando o caso, junto com a polícia, mas até agora ele não foi identificado. Nosso objetivo é chamar a atenção da população para o cuidado com o bem público”, explicou o diretor-presidente da CTMac, André Lima. (Caixa controladora danificada fica no cruzamento da Rua Hildemar Maia com a Avenida Feliciano Coelho (Foto: Rita Torrinha/G1)

De acordo com a CTMac, após o episódio, os semáforos daquele cruzamento ficaram confusos. Na mesma semana foi feita a troca de peças para estabilizar os sinais. No entanto, ainda será necessário fazer a substituição da caixa por completo.

“Identificamos que os sinais apresentaram problemas outras vezes, por isso teremos que trocar a caixa. Esse é um equipamento caro, custa em média R$ 50 mil para realizar a manutenção total. Queremos que a população fique ciente que não se trata de problemas técnicos e sim consequências de um ato de vandalismo”, ressaltou Lima.

Diretor-presidente da CTMac, André Lima (Foto: Rita Torrinha/G1)

O homem ainda não foi identificado e nem se sabe a motivação da ação. A CTMac diz que decidiu divulgar as imagens porque atos de vandalismo são frequentes nas sinalizações da cidade. A direção lembra que, frequentemente, são registrados casos de placas e cabeamentos danificados e furtados. (Diretor-presidente da CTMac, André Lima (Foto: Rita Torrinha/G1)

A companhia disponibiliza o número do disque denúncia (98802-1358), para o qual as pessoas podem enviar textos, fotos, vídeos e áudios informando sobre qualquer tipo de avaria nas sinalizações, como por exemplo, sobre semáforo danificado, estacionamento e transporte irregulares e reclamação referentes aos serviços de ônibus.

Aldeões matam quase 300 crocodilos para vingar morte de vizinho na Indonésia

Foto de 14 de julho mostra carcaças de crocodilos mortos em Sorong, na Indonésia (Foto: AP Photo/Irianti)

Os moradores de um povoado da província de Papua Ocidental, na Indonésia, mataram 292 crocodilos em um criadouro para vingar a morte de um vizinho que foi atacado por um dos répteis, informaram nesta segunda-feira (16) fontes oficiais. (Foto de 14 de julho mostra carcaças de crocodilos mortos em Sorong, na Indonésia (Foto: AP Photo/Irianti)

A vítima, de 48 anos, caiu em um poço com crocodilos na sexta-feira enquanto cortava grama para o gado no município Sorong, cidade portuária com pouco mais de 200 mil habitantes.

No dia seguinte, os moradores foram à fazenda de crocodilos e mataram todos os que encontraram “com objetos afiados, martelos, blocos de madeira e pás”, disse o chefe da agência provincial de conservação, Basear Manullang, em comunicado.

Os répteis mediam entre 10 centímetros e dois metros de comprimento, e os agressores levaram os corpos de dois dos de menor tamanho.

O criadouro conta com as autorizações pertinentes para funcionar como refúgio para crocodilos, uma espécie protegida na Indonésia, segundo Manullang.

A Indonésia é um dos países com maior biodiversidade do planeta e conta com centenas de espécies ameaçadas pelo desenvolvimento industrial e agrícola, entre eles o orangotango e os rinocerontes de Sumatra e Java.

https://g1.globo.com/mundo/noticia/aldeoes-matam-quase-300-crocodilos-para-vingar-morte-de-vizinho-na-indonesia.ghtml