Homem diz que não aguenta mais ser Cornélio Chifrudo e faz boletim contra a mulher

aaaaa2

Alegando estar cansado de ser traído pela mulher, um morador de Cáceres, cidade a 220 km de Cuiabá, procurou a delegacia da Polícia Civil e registrou um boletim de ocorrência contra a companheira. No documento, registrado na última segunda-feira (17), o homem, de 50 anos, disse que não aguentava mais ‘tomar chifre’, por isso resolveu procurar a polícia.

G1 não localizou o marido ou a mulher. O boletim de ocorrência foi feito com termos chulos e palavras grosseiras em relação ao suposto comportamento da mulher do morador, além de conter vocabulários normalmente encontrados no linguajar mato-grossense. A Polícia Civil confirmou que o boletim de ocorrência foi feito pelo marido na delegacia, que assinou e concordou com o que foi dito.

No documento, o homem disse que tem um relacionamento com uma mulher que conheceu em Cáceres, porém, teria presenciado diversas traições, sendo que em uma delas encontrou a companheira na cama com outro homem. Ele disse à polícia que chegou a danificar a bicicleta da mulher para evitar que ela saísse de casa e o traísse outras vezes.

“(…) o comunicante [marido] não aguenta mais tomar chifre na cabeça e ver sua morena (…) com outros homens na rua e por isso veio até a delegacia para registrar o boletim de ocorrência”, diz o BO. O próprio marido se diz ‘corno’ e pede ajuda da polícia para não ter mais problemas com a ‘morena’.

A Polícia Civil informou que o boletim de ocorrência foi classificado como ‘natureza atípica’. Por isso, não gera nenhum procedimento policial, já que a situação narrada não é considerada crime pela polícia.

Ainda conforme a polícia, o próprio marido quis que os termos fossem descritos na forma em que foram colocados no documento. Contudo, pela maneira narrada e pelas palavras grosseiras usadas no boletim de ocorrência, o marido deve ser chamado para se explicar na delegacia.

A previsão é que ele seja ouvido na tarde desta quarta-feira (19) em uma delegacia em Cáceres

http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/homem-diz-que-nao-aguenta-mais-ser-traido-e-faz-boletim-contra-a-mulher-em-mt.ghtml

Mulher barbuda que pensa ser homem copula com homem e dá à luz

 Transgênero e companheiro decidiram ter um filho biológico  (Foto: Reprodução/Facebook Biff and I)

O transgênero (na verdade, mulher mesmo) Trystan Reese e seu parceiro, Biff Chaplow, anunciaram no sábado (15) o nascimento do primeiro filho biológico deles. O casal de Portland, em Oregon (Estados Unidos) contou que o menino nasceu na noite de sexta-feira (14) com mais de 4kg.  (Mulher barbada e seu marida decidiram ter um filho biológico (Foto: Reprodução/Facebook Biff and I)

“Pai grávido, nove meses, um bebê e uma família muito feliz”, diz o post publicado no Facebook com o vídeo em que o casal, juntos a sete anos, apresentaram a criança. “Ele é muito saudável”, contou Reese. “Ele é lindo”, disse, Biff, orgulhoso.

Trystan, de 34 anos, afirmou à imprensa internacional que teve uma gravidez tranquila. O casal já tem um casal de filhos, que foram adotados em 2011, porém decidiram ter um filho biológico.

Então, Tristan, que nasceu mulher, suspendeu a ingestão de testosterona para engravidar. O casal contou que a equipe médica passou por treinamento para acompanhá-los.

Transição

Site do casal mostrou a evolução da gravidez  (Foto: Reprodução G1/ Facebook Biff and I)

Trystan contou que decidiu iniciar a transição ainda no ensino médio. “Eu dizia que eu era um homossexual em um corpo de mulher. Eu comecei a tomar testosterona e meu corpo começou a mudar. Emocionalmente foi muito difícil, mas em seis meses eu era um homem”, afirmou. (Site do casal mostrou a evolução da gravidez (Foto: Reprodução G1/ Facebook Biff and I)

Ele ressalta que nunca quis ter um corpo exatamente igual ao do parceiro e, por isso, não fez a cirurgia para redesignação do órgão sexual. “Eu nunca quis que o meu corpo não fosse um corpo de transexual. Eu estou bem sendo um homem que tem útero, que tem a capacidade de ter um bebê”, afirmou em vídeo postado no Facebook do casal e reproduzido pela rede americana CNN.

Trystan afirma estar satisfeito com as modificações. “Eu acho que meu corpo é impressionante. Eu sinto que é um presente ter nascido com o corpo que tinha. Eu fiz as mudanças necessárias para que eu pudesse continuar vivendo nele, através de hormônios e de outras modificações “, afirmou.

Maternidade

Trystan afirma ainda que a aceitação da sua condição o permitiu encarar com naturalidade a gravidez. “Eu sou feminista. Eu penso que mulheres são impressionantes. Eu não acho ruim ser uma mulher. Só não aconteceu de ser [por fora] como eu era por dentro. Por isso, é ok entrar nesse sagrado mundo da maternidade. E isso não me faz sentir menos homem. Eu só sou um homem capaz de ter um bebê e eu decidi fazer isso”, declarou.

Bebê filho de transgênero e parceiro nasce nos Estados Unidos (Foto: Reprodução G1/ Facebook Biff and I)

O casal conta que as críticas mais duras acontecem principalmente pela internet. “Por trás do anonimato, as pessoas se sentem empoderadas para dizer o que deveria acontecer conosco, com os nossos filhos, com a nossa família. A razão pela qual você decide ter um filho é querer ver mais amor no mundo e lembrando quão difícil será. É duro”, afirma. (Bebê filho de transgênero e parceiro nasce nos Estados Unidos (Foto: Reprodução G1/ Facebook Biff and I)

http://g1.globo.com/mundo/noticia/transgenero-e-parceiro-anunciam-nascimento-do-1-filho-biologico.ghtml

Cães ganham roupa especial para patrulhar encostas geladas do Chile

Os cães da Escola de Treinamento Canino de Carabiniers do Chile ganharam roupas e equipamentos especiais para trabalharem nas encostas geladas durante o inverno. As peças foram apresentadas na terça (18), no Farellones Ski Resort, a 36 km de Santiago.

As roupas contam com camadas impermeáveis que irão proteger os cães de congelamento e eles ganharam ainda óculos especiais, que serão usados para bloquear a ação dos raios UV. Além disso, terão “sapatos especiais com sola Vibram, idênticas às usadas por pessoas que praticam escalada”, segundo o tenente Manuel Lillo. O material irá impedir que eles machuquem as patas ao caminhar em diversos tipos de terrenos.

De acordo com Lillo, as operações de patrulhamento realizadas pelos cães são de grande importância, especialmente durante as férias de inverno, quando os resorts de ski da região recebem um número elevado de turistas.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/caes-ganham-roupas-e-equipamento-especial-para-patrulhar-encostas-geladas-do-chile.ghtml

Irritado com prisão da mãe, policial civil saca arma dentro de delegacia e ameaça atirar em cabo da PM

Irritado com prisão da mãe, policial civil saca arma dentro de delegacia e ameaça atirar em cabo da PM

Uma confusão entre um investigador da Polícia Civil e Militares terminou na Delegacia de Várzea Grande, no Estado de Mato Grosso, na noite da última quinta-feira (13). O investigador teria tentado impedir a prisão de um familiar, que foi pego com drogas após uma abordagem da Polícia Militar e ainda sacado uma arma dentro da delegacia e ameçado atirar em um cabo.

De acordo com as informações do Boletim de Ocorrências (BO), uma viatura estava em rondas pelo bairro Asa Bela, em Várzea Grande, quando fez a abordagem de um homem, que estava com duas porções de substância análoga a maconha. Durante checagem, ficou constatado que ele possúi dez passagens criminais.


Minutos depois, chegou uma mulher que começou a xingar os policiais que atendiam a ocorrência com as seguintes palavras: “Policiais filhos da puta, vagabundos, meu filho é policial, ele irá matar vocês”. Sendo assim, o Militar deu voz de prisão para a mesma por desacato e ameaça. Ela então teria desferido socos, pontapés e um tapa no rosto de um dos soldados, chegando a danificar a lente de seu óculos.

Os policiais então utilizaram força moderada para colocar as algemas nos dois suspeitos. Porém, o marido da mulher e outros quatro populares tentaram obstruir o serviço dos PMs, que conseguiram afastar todos do local. Eles então foram conduzidos para a Central de Flagrantes.

A mãe do investigador estava com uma pequena escoriação no cotovelo, ocasionada no momento em que os policiais tentavam algemá-la. Na delegacia, o policial civil, que é filho da acusada e não estava de serviço, se apresentou e exigiu que as algemas fossem retiradas dela.

Além disto, teria ordenado que os policiais entregassem o celular do seu pai de volta. O investigador ainda teria sacado a arma e ameaçado um cabo da PM, dizendo: “Se tiver que matar eu mato, que eu sou policial civil, eu que mando aqui”. Também disse conhecer um dos soldados que atenderam a ocorrência e que saberia onde ele mora.

http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=436245&noticia=policiais-civis-encurralam-militares-da-forca-tatica-em-delegacia-apos-suposta-agressao

Petista se suicida após saber que Lula foi condenado

aaaaa1

A notícia de um possível #Suicídio está sendo divulgada pelo blog PopTests. De acordo com as informações da reportagem, um homem chamado Josué Martins, 46 anos, ficou extremamente abalado com a notícia de que o ex-presidente Luiz Inácio #Lula das Silva seria condenado a nove anos e meio de prisão e acabou se suicidando.

Segundo a sua família, Josué era muito fanático pelo #PT e tinha Lula como o seu grande ídolo. Ele recortava revistas e jornais de notícias que falavam sobre o petista. Desempregado desde 2013, Josué vivia pensando no PT e a sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro foi um grande ‘balde de água fria’ para sua vida.

Ao saber da notícia, ele saiu de casa transtornado, chorando muito e foi para o bar amenizar a dor com a bebida. Horas depois, chegou a notícia da morte do petista. A amargura foi tanta que seu coração não aguentou.

A notícia está tendo grande repercussão na internet, apesar de ainda não ser comprovada oficialmente.

Tropa de choque

A tropa de choque do PT está arrasada com a condenação do ex-presidente [VIDEO] e declarou guerra contra o juiz Sérgio Moro. A presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann, enviou uma carta para os diretórios regionais e municipais da sigla para que organizem manifestações e pressionem o Tribunal Regional Federal (TRF) a rever a sentença de Moro.

O medo dos militantes petistas é que o tribunal possa aceitar a sentença e Lula ficar inelegível para as eleições de 2018, o que seria um grave problema para o PT.

Lula fez um pronunciamento na manhã desta quinta-feira (13), se mostrando indignado com a condenação. Ele avisou que não está fora do jogo e que pretende concorrer nas eleições do ano que vem.

Ataques a Moro

Após o discurso do ex-presidente, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, o senador Lindbergh Farias e outros parlamentares ligados ao partido decidiram se unir e tentar a todo custo que Lula seja candidato para o ano que vem. Gleisi lamentou a decisão de Moro e o chamou de covarde. Ela também acusou o juiz de destruir a democracia.

Sérgio Moro declarou na sentença que não sentia nenhuma satisfação pessoal em condenar o ex-presidente [VIDEO], mas afirmou que um ex-presidente da República tem uma responsabilidade muito grande em tudo o que acontece a sua volta. Para Moro, Lula é culpado de toda essa corrupção e só não iria decretar a sua prisão por “prudência”, já que ele foi um presidente da República. O juiz deixou essa decisão de sua prisão em regime fechado para a Corte de Apelação.

http://br.blastingnews.com/politica/2017/07/blog-cita-suicidio-de-petista-apos-saber-da-condenacao-de-lula-001848113.html

Índia censura palavra “vaca” em documentário sobre Nobel de Economia

aaaaa1

O Conselho Central de Certificação de Cinema (CBFC, sigla em inglês) da Índia determinou que quatro palavras, uma delas “vaca”, fossem censuradas em um documentário sobre o filósofo indiano e ganhador do prêmio Nobel de Economia, Amartya Sen, como requisito para que a obra obtenha permissão para ser exibida no país. (Foto: É ótimo ser vaca na Índia: Nunca vira churrasco, é adorada e paparicada como verdadeiro deus)

“O documentário estrearia nesta sexta-feira, mas, na última terça-feira, o escritório do CBFC em Calicute me intimou pessoalmente e me disse que havia quatro palavras que deveriam ser censuradas com um ‘bip’, entre elas ‘vaca’, para que o filme pudesse estrear”, disse à Agência Efe o diretor do documentário, Suman Ghosh.

Além do termo “vaca”, o escritório de Calicute do CBFC ordenou que as palavras “Gujarat” (nome desse estado da Índia), “Hindu” e “Hindutva” (concepção extremista que considera que a nacionalidade indiana está ligada à religião hindu), também fossem censuradas com um “bip”.

“Tentei perguntar as razões, mas não entendi a explicação que me deram, não fazia nenhum sentido”, explicou Ghosh.

O diretor disse que não vai modificar o filme e que recorrerá da decisão a instâncias superiores.

O escritório do CBFC em Calicute, por sua vez, se recusou a responder à Efe e explicou que “não falará com os meios de comunicação sobre este assunto”.

O documentário “The Argumentative Indian” está baseado no livro homônimo de Amartya Sen e conta com a presença do próprio intelectual analisando a Índia contemporânea e episódios controversos de sua história recente, como os conflitos comunais e os religiosos entre muçulmanos e hindus.

Segundo a imprensa local, o escritório de Calicute do CBFC remeteu um relatório à sede central em Mumbai (antiga Bombaim) explicando que as palavras censuradas “poderiam ofender os sentimentos de certas comunidades” e “poderia colocar em perigo a segurança de Gujarat”, que é citado no documentário ao falar da violência contra a minoria muçulmana em 2002.

Para Ghosh, esta explicação parece “irônica”, sobretudo levando em consideração que o livro em que se baseia o documentário fala sobre “o pluralismo de ideias e a importância do debate” como marcas da Índia.

“Vamos recorrer e esperar para ver como o problema se desenvolve, mas, aconteça o que acontecer, não vou censurar um dos intelectuais mais importantes da Índia”, esclareceu Ghosh.

Amartya Sen, professor da Universidade de Harvard e ganhador do prêmio Nobel de Economia em 1998 “por sua contribuição à economia do bem-estar”, é um dos intelectuais mais importantes da atualidade.

O CBFC é fonte habitual de manchetes nos jornais da Índia, seja por censurar o nome Bombaim em uma canção alegando que o denominação oficial da cidade é “Mumbai”, como por proibir os longos beijos nos filmes de James Bond e impedir a projeção de “Cinquenta Tons de Cinza” nos cinemas.

https://br.noticias.yahoo.com/netanyahu-refor%C3%A7a-compromisso-evitar-ir%C3%A3-tenha-armas-nucleares-235959482.html

Os idiotas-instruídos da UFG com camiseta pedindo ‘menos amor’ e mais agrotóxico

 Foto de alunos de agronomia repercute na web com camiseta pedindo 'menos amor, mais agrotóxico' (Foto: Reprodução)

Uma foto com estudantes do curso de agronomia da Universidade Federal de Goiás (UFG) causou repercussão nas internet devido às camisetas usadas por dois deles, com os dizeres: “Menos amor, mais glifosato, por favor”. O produto é um tipo de agrotóxico potente usado para matar ervas daninhas em plantações e, se aplicado de forma incorreta, pode causar danos graves às lavouras, segundo especialistas. (Foto de alunos de agronomia repercute na web com camiseta pedindo ‘menos amor, mais agrotóxico’ (Foto: Reprodução))

A Associação Atlética Acadêmica Agronomia, que confeccionou as vestimentas, informou ao G1 que o intuito não era fazer apologia ao herbicida, e que foi criada uma “polêmica sem sentido” sobre o caso. Segundo o grupo, o “glifosato” da camiseta faz referência ao nome de uma bebida preparada pelos estudantes há anos, e não ao agrotóxico.

G1 não conseguiu contato com os estudantes que aparecem na foto até a publicação desta reportagem.

A imagem foi feita no último dia 8 de junho, logo após uma palestra da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater). Na ocasião, duas servidoras do órgão, que também aparecem na foto, falaram sobre o uso de soja na alimentação humana. A apresentação ocorreu dentro do Agro Centro-Oeste Familiar (Acof), evento anual que, desta vez, foi organizado e aconteceu dentro da UFG, em Goiânia.

A foto, juntamente com uma reportagem sobre o evento, foi publicada tanto no site quanto nas redes sociais da Emater. Porém, em virtude da repercussão negativa, todas foram excluídas.

Em nota enviada ao G1, a assessoria de imprensa da Emater informou que não tem “qualquer ligação com a produção ou o incentivo ao uso da camiseta”. Destacou ainda que, por respeitar o direto à liberdade de expressão, “não realizou qualquer tipo de censura relacionada ao uso da camiseta”.

Por fim, a agência pontuou que “reconhece, colabora e incentiva toda e qualquer prática sustentável de produção agropecuária apoiada em procedimentos seguros e ambientalmente corretos, afiançados pela legislação vigente”.

A UFG, também por meio de nota, se manifestou dizendo que a instituição não tem “qualquer ligação com a produção ou o uso da camiseta usada pelos estudantes e que defende o uso de práticas sustentáveis de produção, de acordo com a legislação vigente”.

Até o semestre passado, camiseta pedindo ‘mais glifosato’ era vendida a R$ 35, sendo duas por R$ 60 (Foto: Reprodução/Instagram)

‘Não é apologia’, diz Atlética

O presidente da Assosiação Atlética, o estudante Guilherme Lima, criticou a polêmica criada sobre o caso e disse que a camiseta não tem como ideia fazer qualquer tipo de apologia ao uso da substância. Ao G1, ele afirmou que o termo “glifosato”, neste caso, remete ao nome de uma bebida.

“Todo curso tem seu ‘mé’ (sic), que é uma bebida característica. Cada um coloca o nome relacionado ao curso, algo engraçado e distorcido do que realmente é. A gente usa o sentido contrário das coisas. A polêmica foi criada pelo politicamente correto, que pegaram apenas um lado da história”, afirmou.

Ainda de acordo com Lima, a tal bebida do curso de agronomia já é chamado de glifosato há alguns anos. A associação chegou a comercializar as camisetas pelo Instagram ao preço de R$ 30. Porém, o universitário disse que venda se restringiu ao último semestre, uma vez que novos modelos são criados neste período.

Apesar de não acreditar que a situação interferiu de forma negativa, o presidente da associação revelou que ficará mais atento para que situações similares não voltem a ocorrer.

“Vamos tomar mais cuidados. Estamos em um período que qualquer coisa que você diz ou faz, tomam partido e acabam te prejudicando”, salienta.

Riscos do glifosato

Um dos defensivos agrícolas mais vendidos no combate a ervas daninhas, o glifosato é considerado bastante forte. Conforme explica o zootecnista e técnico em agropecuária Antelmo Teixeira Alves, sua aplicação direcionada da forma incorreta pode causar danos graves às lavouras. “A aplicação deve ser direto sobre a erva daninha que está causando o problema”.

“Se caso houve contato direto com as outras espécies que se quer defender, toda a plantação será eliminada”, afirma.

O produto está disponível em lojas agropecuárias e só pode ser adquirido mediante apresentação de um receituário agronômico. Ele pontuou que existem pesquisas que tentam relacionar o uso do glifosato com casos de câncer, mas não há nenhuma comprovação científica dessa situação.

A aplicação deve seguir os padrões do fabricante e ser realizada por profissional qualificado, utilizando todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Também devem ser respeitadas questões de horário e climáticas.

Alves, que também é chefe de gabinete da Emater com 30 anos de experiência na área, criticou a exposição dos estudantes e disse que o órgão tem o compromisso de orientar para uma cultura de produção de alimentos cada vez mais saudáveis.

http://g1.globo.com/goias/noticia/foto-de-alunos-da-ufg-com-camiseta-pedindo-menos-amor-e-promovendo-agrotoxico-repercute-na-web.ghtml